Menu-Cat

Resenha: O Lado Feio do Amor - Colleen Hoover


        “ - O amor nem sempre é bonito, Tate. Às vezes você passa o tempo inteiro desejando que um dia ele mude. Que melhore. E aí, antes que perceba, você já voltou para a estaca zero e perdeu o seu coração em algum lugar no meio do caminho.”


SINOPSE: Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.
O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.




        Esse foi o primeiro livro da Colleen que eu li e estava com altas expectativas por vê-la ser tão aclamada pelo público de New Adult. Inclusive, foi minha primeira experiência com o gênero e gostei bastante. O livro tem cenas explícitas de sexo, mas com todo o entrosamento da história, funcionou bem. Apesar de parecer repetitivo depois de um tempo, uma cena chegando a 7 páginas de pura descrição, a escrita da Colleen é ótima e eu me encantei pela história!  
        A forma como é contada, intercalando os capítulos entre o passado e o presente, foi genial! Admito que me prendi muito mais aos capítulos narrados pelo Miles no passado, que me envolveram de tal modo que a minha vontade era de pular o seguinte, só para poder continuar lendo sob o ponto de vista dele.

        Miles me conquistou. E conhecer sua história, conforme ela foi sendo mostrada, me fez amá-lo ainda mais!
        Durante todo o livro ele tem uma postura contraditória bem condizente com sua luta entre se entregar ao que está sentindo por Tate, ou se afastar. Apesar de dizer que a relação deles é só sexo, suas atitudes vacilam, o que traz uma dificuldade grande para Tate de entender o que ele de fato quer, e ela se deixa envolver mais e mais.
        Tate tem pontos altos e baixos que me deixaram incomodada em alguns momentos. Mas suas ações retratam de fato como muitas mulheres agiriam na mesma situação, o que fez dela uma personagem bem real e humana.

        “Logo, por mais que tente proteger meu coração de Miles, é inútil. Ele vai quebrá-lo em algum momento, e, mesmo assim, continuo permitindo que ele o preencha.”

        E Cap é um dos melhores personagens secundários que já encontrei! Leal, verdadeiro e de bom coração, quis entrar nas páginas para compartilhar também minhas histórias e sentimentos com ele, assim como Tate fez.

        Esta história fala sobre amor, perdas, culpa e recomeço. É um livro emocionante, com personagens carismáticos (menos o vizinho casado) e “reais”. Meu coração ficou doído com o passado de Miles e só ele sabe o quanto sofreu, nos restando apenas imaginar e tentar nos colocarmos em seu lugar. Então eu compreendo suas ações e luta interna para tentar impedir de se machucar novamente. Por todo o sofrimento, luta e, mesmo assim, vontade de amar e ser amado, ele virou um dos meus personagens favoritos da vida.

        “A dor sempre vai estar presente.
        O medo também.
        Mas a dor e o modo não são mais minha vida. São apenas momentos.”

Unha da semana: Francesinha de oncinha


Bom dia, gente! Como vocês estão?

Como está tudo uma correria por aqui, trouxe hoje uma combinação que fiz há bastante tempo e que sou completamente apaixonada! Inclusive já quero fazer parecido com outras cores também!

Vocês gostam de francesinha nas unhas? Eu amo, principalmente essas bem diferentes! No início, antes de me aventurar pelas cores dos vidrinhos, pelas películas e decorações, eu só usava renda com francesinha branca. Era minha unha coringa. Usava sempre em qualquer ocasião. Hoje em dia, claro, uso as mais variadas cores e desenhos nas unhas, então pensei: "Por que não misturar?" Escolhi uma película lindíssima em que a francesinha é uma estampa de oncinha com lacinho! Olhem que amor:





Passei 3 camadas do Rosa Tule, esperei secar um pouco e coloquei as películas de oncinha em todos os dedos. Limpei os cantos com algodão molhado na acetona e passei 1 camada do Top Coat da Impala, que uso sempre!

Espero que vocês tenham gostado! Em breve trago mais inspirações de combinação para vocês!
Mil beijos e até a próxima!


Resenha: O Menino do Pijama Listrado - John Boyne


"Não torne as coisas piores, pensando que dói mais do que você está sentindo."



         SINOPSE: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 




        A proposta do autor era fazer um livro sob a perspectiva de um menino de 9 anos sobre um dos momentos mais terríveis da humanidade, do qual ele não tinha conhecimento algum. E acho que isso foi bem atingido com uma narrativa simples que convence. Bruno parecia - e estava - perdido na situação toda. Ninguém fazia questão de esclarecê-lo sobre nada, nem sobre as tristes pessoas de pijama que ele via pela janela do seu quarto.
        Ele é um menino doce e extremamente inocente, que não faz ideia do que esteja acontecendo na sua casa ou o porquê de ter que se mudar com sua família para um lugar praticamente abandonado. Só sabe que o pai é tido como importante e tem muitos afazeres que o deixam ocupado o tempo todo. Apesar do que diz, a mãe não parece nada satisfeita com a nova vida, assim como seus filhos, mas insiste que eles não têm escolha.
        Quem não gosta de mudanças consegue se identificar com a revolta do menino e seus sentimentos de insatisfação, receio e tristeza. Principalmente por ser deixado à parte de todo o motivo por trás do trabalho do pai.
        Movido pelo tédio, Bruno resolve percorrer os arredores do local onde está morando, em busca de aventuras. E é quando encontra Shmuel. Um menino que, coincidentemente, faz aniversário no mesmo dia que ele.

        Conforme o livro avançava, e também a amizade entre os meninos, torci para que tudo pudesse, de alguma forma, se resolver. Me apeguei a eles e sofri com eles. Shmuel me cativou desde o início, me fazendo pensar em todas as pessoas inocentes que foram tratadas como nada nessa época de crueldade. Tantos sentimentos ignorados, tantos corações feridos.


        Gretel, irmã de Bruno e chamada por ele de Caso Perdido, tem 12 anos. Tem um gênio forte e parece já ter internalizado a ideia de ser superior. Isso fica claro pela forma como ela e Bruno tratam Maria, a criada, de forma diferente.
        Gretel não gosta de se sentir sozinha nessa casa nova, apesar de ter suas bonecas para brincar. E volta todas as suas atenções para o Tenente Kotler, quando este aparece.

"Se ficou lindo? Lindo, você disse? Menina tola! É isso que considera de importância neste mundo? Ficar linda?"


         O Tenente Kotler foi um personagem desprezível. Mas o livro trata de um assunto real, o que nos faz lembrar que existiu um tenente Kotler. Apenas com outro nome e não sendo fictício, mas uma pessoa real que tinha atitudes tão desumanas quanto este personagem.

        Quem não tem um conhecimento básico sobre o Holocausto, pode ficar perdido em algumas partes - assim como Bruno. Mas foi justamente essa forma subentendida de falar sobre o assunto que fez crível a narrativa do ponto de vista de uma criança. 

        Foi uma leitura muito rápida e com uma linguagem leve, apesar de contar sobre um fato histórico terrível. Apenas em um momento fiquei com falta de ar e nervosa ao perceber aonde a inocência de Bruno o levaria. E isso despedaçou meu coração. Mas apesar de triste, foi incrivelmente emocionante, e impossível de conter o choro.

Recomendo muito a leitura deste tocante livro!


Unha da semana com dois esmaltes baratinhos!


        Bom dia, amores!

        Hoje o post é para quem ama marrom e esmaltes baratinhos, assim como eu! Por ser uma das minhas cores preferidas, o coração já bate forte quando acho um vidrinho que seja, de fato, marrom - e não vinho, o que é bem difícil. Por esse motivo, esses dois lindos de hoje viraram meus queridos.
         Para quem não sabe, a Sadok é uma marca da Speciallità, bem em conta, mas com a mesma qualidade! Comprei alguns vidrinhos na Feira de Beleza do Rio e vou mostrando as cores aos poucos a vocês!



Para as apaixonadas por um perolado, o Acácia é uma ótima pedida e deixa esse efeito maravilhoso! Nessa foto, passei as duas camadas do Antúrio e uma do Acácia, mas, por ter uma cobertura muito boa, o Acácia também pode ser usado puro, com duas camadas.




Já para quem prefere um esmalte mais clássico, simples e elegante, o Antúrio é pra você! Duas camadas e cobre perfeitamente!

Os vidrinhos podem ser encontrados nas perfumarias ou lojas online com o valor em torno de R$2,00. O custo-benefício valeu muuuito a pena, na minha opinião.

Espero que tenham gostado!
Até o próximo post!
Mil beijos!

Resenha: Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole


        Bom dia, leitores! Hoje eu trouxe a resenha de um livro que foi bastante falado este ano e que passa uma linda mensagem de amor e lição de vida!


SINOPSE: 
        Quando crianças, Poppy e Rune se tornaram melhores amigos. Aos 8, Poppy recebeu da avó um pote com mil corações de papel para, em cada um deles, escrever sobre um beijo que quase fizesse seu coração explodir. E Rune percebeu que não queria que nenhum outro garoto preenchesse aqueles corações.
        Mas na adolescência, Rune muda de cidade, levando a promessa de Poppy de que eles sempre manteriam contato, até ele voltar. Só que ela quebra a promessa e desaparece.
        Dois anos se passam, até que ele, finalmente, retorna à cidade. E ele quer descobrir por que a garota que amava o excluiu de sua vida sem dar explicação. Mas, quando a verdade é dita, Rune percebe que não fazia ideia da dor que iria sentir.


        Com uma escrita maravilhosa e a história de um amor puro e verdadeiro, Tillie Cole conseguiu conquistar meu coração. Foi uma experiência dolorosa e muito emocionante, mas que valeu cada lágrima derramada.

        Apesar da sensação inicial de descrença de que um amor pudesse ser tão inquebrável em pessoas tão jovens, com o passar das páginas Tillie nos faz acreditar e pensar: “Por que não? Não é isso que buscamos? Amar e sermos amados tão verdadeira e intensamente?”

        Achei que, do início ao fim, a história foi muito bem construída. Todos os diálogos, carregados de emoções, me fizeram sentir uma angústia tão forte, como se eu estivesse no lugar deles, compartilhando de sua dor. As cenas, muito bem descritas, me levaram a vivenciar os acontecimentos bem ao lado de cada personagem, e eu amei isso!

        Poppy é um doce de menina, e muito forte. A maneira leve e positiva com que ela enxerga o mundo e tenta passar isso para Rune, me emocionou demais!
        Rune, como me apeguei a ele! Chorei, gritei e me revoltei bem ao seu lado. Ele me conquistou logo de início com seu amor e dedicação, mesmo que mascarados pelo medo.
        Os capítulos são contados intercaladamente, ora por Poppy, ora por Rune, o que nos faz conhecer a fundo os sentimentos de cada um.

        O final foi fantástico! Diferente do que imaginei, e por isso, chorei ainda mais. Foi um desfecho impactante, mágico e apaixonante!
        Foi um misto de emoções e uma experiência maravilhosa ler Mil Beijos de Garoto. Terminei com o coração na mão e os olhos inchados, mas com a alma preenchida de amor e vontade pela vida, cada vez mais.

        Para mim, esse livro é mais do que apenas um lindo romance. É uma verdadeira lição de vida. Porque ele retrata a realidade de todos nós. Uma realidade que, constantemente, esquecemos: Nós não temos todo o tempo do mundo. E precisamos nos levantar a cada dia, agradecendo por estarmos, mais uma vez, de pé. E como agradecimento, é nosso dever sermos felizes.
        Eu desejo, do fundo do coração, que você seja puro e forte como a Poppy, que ame como o Rune, que seja amiga como a Jorie, e que, acima de tudo, seja feliz.

Espero que tenham gostado do post, essa semana trarei mais uma resenha para vocês! 
Mil beijos! ;*