Menu-Cat

Resenha: O Iluminado - Stephen King


Editora: Suma de Letras

Nota: 4,0 🌟


        Primeiro de tudo, preciso dizer que nunca havia lido um livro de terror antes. Para não dizer nunca, lembro de ter lido o início de algum, quando eu era muito jovem para sequer lembrar direito sobre o que era agora. Sei que ainda tenho em algum lugar por aqui, quem sabe não tento ler novamente no futuro?Mas esse é um papo para outro dia.

        Constantemente, ouço falar em Stephen King e suas histórias recheadas de terror e o sobrenatural. Adiei bastante qualquer leitura dele, apesar de não saber o motivo certo. Até que, indo visitar a biblioteca da cidade, a primeira lombada que me chamou atenção foi do livro O Iluminado. Resolvi ceder e começar a ler.
Foi uma surpresa muito agradável, pois eu realmente gostei! De verdade! Não esperava gostar tanto do livro, ou do gênero (pelo menos, não para livros). O fato é que gostei e quis fazer logo uma resenha dele e trazer para vocês.

"Danny Torrance não é um menino comum. É capaz de ouvir pensamentos e transportar-se no tempo. Danny é iluminado. Será uma maldição ou uma bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do Hotel Overlook.
Quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeira. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranquilidade e ar puro para o pequeno Danny se livrar das convulsões que assustam a família.
Só que o Overlook não é um hotel comum. O tempo se esqueceu de enterrar velhos ódios e de cicatrizar antigas feridas, e espíritos malignos ainda residem nos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. É uma sentença de morte. E somente os poderes de Danny podem fazer frente à disseminação do mal."

        Logo no início, me senti presa aos detalhes sobre o hotel. Stephen King sabe como fazer com que o leitor se sinta dentro da história - o que, para um livro de terror, é maravilhoso e aterrorizante, ao mesmo tempo - e eu, particularmente, gosto de detalhes e uma história muito bem desenvolvida, o que me deixou muito empolgada com a escrita de King. Os diálogos são bem construídos e reais, nada superficial. Foi o que primeiro me empolgou, quando Jack, no primeiro capítulo, está conversando e sendo contratado pelo gerente do Hotel Overlook.

       Como uma boa história desenvolvida, nada surge repentinamente. Portanto, ao mesmo tempo em que parece que tem algo acontecendo, temos a sensação de que nada está, de fato, acontecendo. No caso desse livro, achei que isso foi muito bem feito, pois nos faz conhecer bem os personagens, o motivo de terem ido para o Hotel, e o passado - nada bonito - de Jack. (Qual seria a graça se a descoberta fosse rápida?) Mas logo que os fatos explícitos começam a acontecer, e as coisas ficam realmente tensas, achei que acabou até bem rápido. Não teve enrolação depois que se descobre o que está acontecendo - é aquilo e pronto. Achei que só a partir do momento onde o terror começa de fato a acontecer, poderia ter durado mais tempo, parece que tudo foi resolvido muito rápido no final.

        A história não te dá de bandeja todos os fatos do passado de seus personagens. Isso você vai descobrindo conforme a leitura, em alguns flashs. Jack é uma pessoa difícil, que oscila entre seus humores. Em um momento está tranquilo, para logo depois se tornar agressivo. Esse foi um dos motivos para ter sido demitido do seu cargo de professor e ter se mudado com a família para o Hotel, para trabalhar de zelador enquanto todos estão fora.

        Seu filho de 5 anos, Danny, é um menino diferente, consegue ouvir pensamentos de pessoas ao seu redor e, quando se concentra, tem visões que o mostram fatos que estão acontecendo ou que irão acontecer. Quando chegam ao hotel - que Danny, com assombro, lembra de ter visto em uma de suas visões -, o menino conhece o sr. Hallorann, cozinheiro do lugar. É notável a ligação quase instantânea que ele e Danny parecem criar, o que será explicado quase imediatamente no livro. Esse foi o personagem que mais me conquistou, mesmo tendo aparecido em poucas situações.

        Wendy, uma mãe amorosa, que faz de tudo para proteger o filho, sabe que ele tem um dom. Acredita em suas palavras, mesmo quando o marido nega que algo seja verdade, ou quando o médico lida de forma racional e psicológica com o que está acontecendo com Danny. E percebe que, de fato, existe algo muito estranho e sobrenatural naquele hotel.

"Dirigiu o pensamento para o filho querido que a preocupava, nascido com o saco amniótico sobre a cabeça, uma simples membrana que os médicos viam talvez uma vez em cada setecentos nascimentos, uma membrana que a crendice popular dizia indicar o sexto sentido."

        Enquanto lia, senti o mundo ao meu redor desaparecer completamente, a ponto de não notar nem que minha música favorita estava tocando, tamanha forma como o livro me prendeu.
        Pela primeira vez me deparei com um livro em que os pais - ou um deles - acreditam que o filho realmente vê e sente as coisas que diz, mais do que como uma alucinação, como algo real. O que é muito difícil de acontecer em histórias de terror. Pelo menos nos filmes, enquanto a pessoa afirma e tenta avisar a todos do perigo iminente, ninguém parece levar a sério suas palavras, principalmente se for uma criança.
        Quando as coisas finalmente começaram a acontecer mais explicitamente, senti meu peito apertar e prendi a respiração sem nem perceber. A partir deste momento, até o final do livro, permaneci neste estado de constante nervoso e ansiedade, torcendo para que tudo desse certo no final.

        Realmente é um livro que recomendo muito, principalmente para quem nunca chegou perto desse gênero. Se você gosta de livros longos e histórias de terror, vai amar esse. E se prepare para os momentos de tensão, pois a escrita te leva a vivenciar os acontecimentos como se estivesse bem ao lado de Danny, batendo na porta trancada do quarto 217, pedindo para que aquilo atrás de você não seja real.
       
        E para quem me acompanha aqui com as unhas, criei outro instagram voltado para livros, um bookstagram. Para quem quiser conhecer, é o @bibliotecadananda. Lá eu compartilho diariamente meu amor pelo mundo da leitura, assim como dicas de livros.

Até a próxima! <3



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário