Menu-Cat

Resenha: O Menino do Pijama Listrado - John Boyne


Editora: Seguinte
Nota: 5,0 🌟

"Não torne as coisas piores, pensando que dói mais do que você está sentindo."



         SINOPSE: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 




        A proposta do autor era fazer um livro sob a perspectiva de um menino de 9 anos sobre um dos momentos mais terríveis da humanidade, do qual ele não tinha conhecimento algum. E acho que isso foi bem atingido com uma narrativa simples que convence. Bruno parecia - e estava - perdido na situação toda. Ninguém fazia questão de esclarecê-lo sobre nada, nem sobre as tristes pessoas de pijama que ele via pela janela do seu quarto.
        Ele é um menino doce e extremamente inocente, que não faz ideia do que esteja acontecendo na sua casa ou o porquê de ter que se mudar com sua família para um lugar praticamente abandonado. Só sabe que o pai é tido como importante e tem muitos afazeres que o deixam ocupado o tempo todo. Apesar do que diz, a mãe não parece nada satisfeita com a nova vida, assim como seus filhos, mas insiste que eles não têm escolha.
        Quem não gosta de mudanças consegue se identificar com a revolta do menino e seus sentimentos de insatisfação, receio e tristeza. Principalmente por ser deixado à parte de todo o motivo por trás do trabalho do pai.
        Movido pelo tédio, Bruno resolve percorrer os arredores do local onde está morando, em busca de aventuras. E é quando encontra Shmuel. Um menino que, coincidentemente, faz aniversário no mesmo dia que ele.

        Conforme o livro avançava, e também a amizade entre os meninos, torci para que tudo pudesse, de alguma forma, se resolver. Me apeguei a eles e sofri com eles. Shmuel me cativou desde o início, me fazendo pensar em todas as pessoas inocentes que foram tratadas como nada nessa época de crueldade. Tantos sentimentos ignorados, tantos corações feridos.


        Gretel, irmã de Bruno e chamada por ele de Caso Perdido, tem 12 anos. Tem um gênio forte e parece já ter internalizado a ideia de ser superior. Isso fica claro pela forma como ela e Bruno tratam Maria, a criada, de forma diferente.
        Gretel não gosta de se sentir sozinha nessa casa nova, apesar de ter suas bonecas para brincar. E volta todas as suas atenções para o Tenente Kotler, quando este aparece.

"Se ficou lindo? Lindo, você disse? Menina tola! É isso que considera de importância neste mundo? Ficar linda?"


         O Tenente Kotler foi um personagem desprezível. Mas o livro trata de um assunto real, o que nos faz lembrar que existiu um tenente Kotler. Apenas com outro nome e não sendo fictício, mas uma pessoa real que tinha atitudes tão desumanas quanto este personagem.

        Quem não tem um conhecimento básico sobre o Holocausto, pode ficar perdido em algumas partes - assim como Bruno. Mas foi justamente essa forma subentendida de falar sobre o assunto que fez crível a narrativa do ponto de vista de uma criança. 

        Foi uma leitura muito rápida e com uma linguagem leve, apesar de contar sobre um fato histórico terrível. Apenas em um momento fiquei com falta de ar e nervosa ao perceber aonde a inocência de Bruno o levaria. E isso despedaçou meu coração. Mas apesar de triste, foi incrivelmente emocionante, e impossível de conter o choro.

Recomendo muito a leitura deste tocante livro!


Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Eu acho essa história um pouco forte, mas muito válida. Agrega algo em nossa vida. Com certeza é um livro que nos muda para sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, extremamente válida! Recomendo a todos. Muito obrigada por comentar <3

      Excluir